A crónica do homem de fio dental

No intervalo do jogo mais badalado da semana, entra um homem numa loja de lingerie, a mesma onde a esposa compra o afamado soutien redutor. Diga-se, em nome da verdade, que é a primeira vez que este homem entra na loja para comprar algo para ele. Está habituado a entrar nas lojas dos chineses, onde compra três pares de cuecas por 5€. Mira a menina que está na loja, depois de esta lhe perguntar se precisa de ajuda. Com um ar ridiculamente embaraçado, pergunta se a loja tem roupa interior de homem, que está posicionada mesmo em frente aos olhos vidrados do homem. Com umas cervejas a mais e um olhar de gozo, dirige-se ao fio dental e escolhe o tamanho mais pequeno. A menina, habituada aos homens que não conhecem o corpo que têm, faz questão de saber qual é o tamanho que este homem veste. Um XL, pensou ela assim que o viu entrar. Ao constatar o seu erro, o homem que entrou para comprar um fio dental ri-se a bandeiras despregadas. “Pensei que era tamanho único”, diz ele para parecer que percebe do assunto. Após pagar quase 12€ por uma peça de roupa interior que usará apenas para assustar a esposa, mete conversa com a menina, para se justificar. Porque ele é casado, não é dessas “bichonas” que por aí andam, e porque foi a esposa que insistiu, para terem uma segunda lua-de-mel. Os 7 filhos estão de férias em casa de uma das tias, lá para o Norte. “Há que aproveitar os momentos”, diz ele ainda a rir. A menina sorri, compreensiva, porque para cair o tabu do homem de fio dental, é preciso que nasça um José Castelo Branco com jeito de homem.

13 de Setembro de 2005

Comentários

M.Pedrosa disse…
Para já, o título dá um filme e a estória, assim curta, merece outro. Não sabia que a "Caixa" podia ter surpresas assim tão capazes de retratar o que se vai passando por cabeças ( e não só)dos "reprodutores" da nossa sociedade.
Anónimo disse…
Apesar da ausência de comentários, quero que saibas que não perco um texto por ti escrito. Já te conheço os dotes, desde menininha. Andaste um pouco distraída. Felizmente regressaste e, seguramente, delicias quem te lê.
Continua pois, pela manhãzinha, antes de começar a labuta diária, deleito-me a ler-te e encho-me de orgulho.
Beatrice
Gina Sacramento disse…
Vale a pena abrir esta caixa de Pandora. Do fio dental às luas crescentes de sonhos - há muita poesia, uma maneira de olhar o mundo onde até o desencanto, quando há, encanta. Parabéns!
anakintax disse…
A tua escrita transporta-nos para o teu pensamento, realidade ou ficção, não deixes nunca de nos surpreender.
Continua assim e nao te esqueças, EU QUERO O TEU PRIMEIRO LIVRO, assinado e com dedicatória :p
Beijos fofos.
Ana, Rita e Ana mãe

Mensagens populares deste blogue

A última vez | The Last Time

Desabafo de pouca monta, ou As voltas que esta cabeça dá: