Anjos

Num dia de sol apaixonei-me.
Bebi das entranhas do meu ser
o sentimento que despertou o teu olhar.
Colhi o néctar que me deixou a tua presença
e saboreei-o até se fazer tarde.
As sombras não se fizeram tardar
e o prazer de te querer esfumou-se
como se de um nevoeiro se tratasse.
Num dia, olhaste-me e fui tua...
à noite um ladrão levou o meu sentimento
e fiquei refém da vida.
Restou-me o vício de te lembrar,
a dor do amanhecer.

Num dia de chuva sonhei.
Senti o meu ser estremecer
quando o teu olhar me percorreu.
Lavei do mais profundo de mim o ardor que me deixaste
e o dia surgiu no meu pensamento.
Não vi a luz que se aproximou para me libertar
e o desejo de te deixar cresceu.
Num dia, olhaste-me e morri...
à noite um anjo trouxe a misericórida
e vivi como nunca dantes.
Restou a dor de te perder,
a benção do anoitecer.

Bárbara
10 de Junho de 2006

Comentários

rita disse…
love is in the air...
Adoro pessoas apaixonadas
Têm uma vontade de viver muito maior
Têm brio no que fazem
Têm vontade de ser mais
Têm vontade de arriscar mais
Sâo mais audazes
São mais bonitas
Têm um sorriso contagiante
Transbordam alegria e energia

Um beijo grande

Rita

Mensagens populares deste blogue

A última vez | The Last Time

Desabafo de pouca monta, ou As voltas que esta cabeça dá: